Nosso primeiro ano!

Olá povo querido! Demorei mas estou aqui, antes tarde do que nunca… correria de fim de no já chegou faz tempo, matrícula na escola nova das meninas, eu correndo atrás de auto escola, simmmmm eu P R E C I S O  tirar carteira de motorista e URGENTE! Maaaaaaas hoje só passei prá deixar prá vocês o vídeo do nosso primeiro ano juntos. Dia 4/11 fez um ano que nossa vida mudou completamente, éramos quietos, sozinhos e hoje somos uma família do barulho, cheia de sotaque, cores, purpurinas, bonecas e tudo mais que possam imaginar… Logo volto contar detalhes do nosso dia a dia, sei que ando em falta, me perdoem! 

Anúncios

Algo a refletir…

Olá povo, como estão? Por aqui tudo na santa paz! Venho aqui hoje porque andei pensando sobre algumas dificuldades na adoção tardia, é fato que nem tudo é um mar de rosas, nem tudo é perfeito, nem sempre é aquela maravilha que ouvimos ou que eu ouvi no curso para pretendentes a adoção. Existem sim dificuldades, testes, birras… mas no meu caso não, eu não tenho nada negativo prá contar das minhas negas! Primeiro porque eu sou defensora da boa e velha história que criança é criança e deve ser criança até certa idade, minhas filhas são e estão mimadas como já contei aqui antes e nós sem elas perceberem damos tudo que queremos e podemos dar prá elas, mas isso com os pés bem fincados no chão. Elas comem chocolate, biscoito, chicletes, pipoca, iogurte, batata frita, Mac lanche feliz, mas elas me ajudam nas tarefas de casa, enxugam as tampas das panelas, enchem as garrafas de água prá colocar na geladeira, completam o pote de ração das cachorras, dobram e guardam suas roupas, se forem na casa de alguém não irão ficar mexendo nas coisas, ficarão sentadas aonde eu mandar, não maltratam animais, não falam palavrão… enfim sou uma mãe muito permissiva em certos assuntos, mas linha dura em outros. Lembro que fui numa festa de aniversário antes mesmo delas chegarem e no final da festa, umas amiguinhas do aniversariante se descabelaram prá levar embora os enfeites das mesas, pelo amor de Deus, cadê a mãe dessas crianças? É disso que falo, não adianta você proibir seu filho de mascar um chicletes de vez em quando, mas quando vai na casa de alguém te faz passar vergonha pela falta de educação e limites!  Sempre detestei criança que vai na casa dos outros e mexe em tudo, criança que se mete em conversa de adultos, criança que faz birra e chora sem derramar uma lágrima só porque foi contrariada, não, não sou carrasca sou mãe e quero o melhor prás minhas filhas, com a Fer foi assim e assim está sendo com a Sil e a Ana. Semana passada fomos fazer um atacadão de consultas no IPO, todos nós nos consultamos, sabem o que aconteceu? Eu e o pai delas nos consultamos com o mesmo otorrino, cada consulta levou 20 minutos, elas ficaram 40 minutos sentadas no sofá quietinhas… lá pelos 30 minutos o otorrino estava me examinando e percebeu que elas estavam de frente prá nós, ele imediatamente pegou pirulitos, maçãs, as abraçou e as beijou e disse que não era possível duas crianças quietas daquele jeito, que ele nunca tinha visto isso em anos de profissão, contou que as crianças só faltam se pendurar nos lustres e os pais nada fazem, encheu elas de guloseimas e nos parabenizou, disse que não existe mais educação e que os pais ausentes se tornam relapsos pela ausência e as crianças não obedecem e fazem tudo que querem. Pronto, eu particularmente fui ao céu!  Minhas filhas fazem bagunça, tem televisão no quarto, comem porcarias, mas tem responsabilidades e limites, são crianças e vivem essa fase, que é a melhor da vida!

Agora quero abordar algo que acredito que a maioria dos pais jamais parou prá pensar: A mudança repentina e drástica dos seus filhos… alguém já se colocou no lugar do seu filho? Principalmente o filho que chegou por meio da adoção? Pois bem, vamos lá, vou dar o exemplo das minhas, que posso falar e não serei processada por ninguém: Uma criança com 5 anos, está abrigada desde os 3 anos de idade, não tem referencial de vida, não tem muitas regras, educação, não tem amor, de repente você começa a conversar com essa criança e quinze dias depois você vai buscar ela e sua irmã no abrigo, de uma hora prá outra ela tem que te chamar de pai e mãe, tem que te obedecer, tem que ter educação, usar o guardanapos ao invés de limpar a boquinha no vestido, tem que tomar banho e lavar os cabelos todos os dias, tem que pedir por favor e com licença, dizer muito obrigada, três dias depois pegam um avião e viajam oito horas prá sua casa nova, chegando no aeroporto dão de cara com a nova irmã e de quebra tem a avó e a tia juntas. Chega numa casa estranha, aonde tudo é novo, desde a cidade até a vida delas, dois dias depois vem mais um turbilhão, umas pessoas que elas nunca viram na vida e tem que chamar de avô, tios e tias, primos e primas, padrinhos e madrinhas, amigos, amigas, cachorros, gatos… uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuui é muito prá sua cabeça? Imagina prá uma criança de 4, 5, 6, 7 anos?  Olho prá Sil e prá Ana e minha cabeça dá voltas, tem horas que cobramos tanto delas e não nos damos conta que em menos de um ano a vida delas mudou e muito! É muita coisa, muita informação nova prá elas assimilarem, a Sil sempre pergunta se vamos ao shopping Palladium ou ao Barigui, pergunta se vamos ao Condor ou outro mercado, pergunta se vamos na casa do vô Celso ou do vô Elias, se a Larissa é prima ou amiga delas porque ela adora a Lari… Então é nesse ponto que quero chegar, se prá nós, adultos e cientes dos nossos atos e vontades, tem horas que é difícil, imagina prá uma criança? Tem como ficar mais tranquilo ou realmente precisa fazer um escândalo quando seu filho trouxer o boletim com uma nota baixa? Você, na sua idade chamaria alguém que conheceu hoje de pai e mãe? Você sairia da sua zona de conforto, seu porto seguro que é o abrigo  prá ir morar em outra cidade com pessoas até então estranhas e tudo seria perfeitamente normal? Sua cabeça não iria dar um nó? você é um ET desprovido de qualquer sentimento? não? ufaaaaaaaaaaa que alívio, você é humano e como tal tem medos e sentimentos! 

Farei muito em breve um post sobre devolução e separação de irmãos. Semana passada soubemos de uma louca que adotou não se sabe como e devolveu a criança e hoje a noite li num grupo que seria melhor separar os irmãos porque tal pessoa não tinha condições de ficar com os dois mas queria um! Absurdo e egoísta, mas fica prá outra hora. Obrigada a todos pela visita e pelo carinho…. Não esqueça que aqui se faz, aqui se paga, pode até demorar mas um dia o acerto de contas chega até você.

Grupo de Apoio a Adoção Amor Incondicional (GAAAI)

GAAAI

O GAAAI é formado por famílias do coração em suas mais diversas configurações e profissionais de diferentes áreas, todos com o mesmo objetivo de contribuir para a promoção da adoção legal, segura e para sempre de crianças reais.

Somos um grupo de famílias que se formaram pelo meio da adoção. Ao nos depararmos com as dificuldades inerentes ao processo de adaptação e todos os obstáculos que surgem com a chegada dos filhos, foram poucas as referências e profissionais encontrados que pudessem nos ajudar e servir-nos como apoio.

Foi assim que surgiu o GAAAI, a partir de encontros, palestras e reuniões onde o que prevaleceu foi o desejo de enfrentar e resolver os problemas que surgiam da melhor forma: sempre em frente e nunca pela devolução.

Nosso grupo é formado por pessoas reais que vivenciaram todo o tipo de experiência na adoção e que se disponibilizam a estar aqui, presentes, atentas e interessadas em ajudar e oferecer o suporte necessário às demais famílias que estão iniciando sua caminhada nessa doce aventura.

Na foto, Ellen e eu. GAAAI

Chá de sumiço!!!!!!!!

Oieeeeeeee pipous! Nossa, sumi não é mesmo?! Mas tive bons motivos e vou contar tá…
Primeiro quero responder, contar algo sobre o nome da Silmara: Gente eu não gosto do meu nome, acho feio e se pudesse mudaria, mas acredito que somos predestinados a tudo e até nosso nome tem rumo certo, então não fui eu e nem o Du que colocou o nome da Sil de Silmara, ela veio assim, chegou prá nós como Silmara Gabriela e assim ficou. O nome da Ana nós mudamos, ela chegou como Ana Stefany e meu sonho era uma filha Ana Carolina e assim aconteceu, ela amou tanto o Carolina que não se lembra mais do Stefany e agora temos a Fernanda Caroline e a Ana Carolina junto com a Silmara Gabriela.. eu amooooooooo nomes compostos e minhas filhas não poderiam ser diferentes.. acaso? com certeza não, Destino, Deus!
Nossas meninas estão muitíssimo bem, confesso que estão cada dia mais peruas e mimadas, mas elas não se deram conta que estão mimadas e quando achamos que estão além do limite, chamamos a atenção de volta prá realidade, Ana mudou demais, como já havia relatado antes e agora vive em meio a caretas, piadinhas, cantorias e todas essas coisas que uma criança da sua idade faz. Sil tá mais esperta, já repara nas coisas e não faz mais aquelas perguntas óbvias do tipo: Pai, vc é marido da mãe? Claro que ela tem mais carência que a Ana e ás vezes se torna terrivelmente chata, mas é compreensível, ela passou por tantas coisas que nunca saberemos. Ambas são carinhosas e cativantes, são a atenção dos lugares aonde vamos, elas sabem conquistar as pessoas.
Dia 06 de setembro foi o casamento do meu irmão do meio, Rafael e a correria foi grande, pois prá variar o Du estava no meio da parada na petro e saía de casa ás 6h da manhã e voltava ás 20, 21h então imaginem como foi. As meninas nunca tinham ido a um casamento, não sabiam o que era uma noiva e lá vou eu mostrar vídeos do youtube prá elas se familiarizarem, me lasquei, todo dia elas perguntavam se era amanhã o casamento, perguntavam quando a Tia Ju iria ser princesa e o Tio Rafa o “príncimo” dela, hahahahahaha. Como sempre minha amiga irmã comadre Aline me socorreu, emprestou os vestidos prá elas e me ajudou a pensar nos ajustes finais. No grande dia as levei no salão e elas fizeram trança de raiz, ficaram lindas as minhas negas e como todas as vezes chamaram a atenção de todos, tiraram fotos com todos e ficaram junto com a noiva, a tia princesa Ju boa parte da noite. Dançaram até ás 3h da manhã e ainda queriam mais. Enfim o primeiro casamento que elas participaram com certeza será inesquecível prá elas! No final do post colocarei uma foto delas no casamento.
Nosso grupo presencial está mega parado, confesso que andei me irritando com algumas ausências e desanimei, mas minha amiga Ellen me chama de volta prá realidade e eu me empolgo de novo, agora estamos estudando prá fazermos reuniões mensais Pós adoção, as devoluções aqui em Curitiba deram um salto tremendo e isso apenas mostra o despreparo dos adotantes e a escassez de ajuda de profissionais voluntários, visto que a maioria dos adotantes não tem condições de arcar com ajuda profissional particular e esperar pelo SUS muitas vezes leva anos, então vamos oferecer palestras com nossos relatos reais, sem máscaras, sem pózinhos de pirlimpimpim, sem sininhos, a adoção real e seus fatos que muitas vezes não são cor de rosa. Infelizmente não podemos fazer muita coisa, dependemos da ajuda de outros e nem sempre estão dispostos a abdicar de um sábado na chácara prá dar seu depoimento e ajudar outros pais a tentar diminuir esse índice alarmante de devoluções. Precisamos de um local mais central para tais reuniões e ainda não conseguimos, precisamos de folders, camisetas, banners, precisamos de pessoas realmente engajadas, pessoas que sejam verdadeiramente militantes na causa adoção, precisamos de tudo e mais um pouco, mas eu não vou desistir, nem a Ellen… vamos levar adiante, nem que demore anos a fio, mas nosso grupo será regulamentado, será presencial e será forte e com ele teremos muitas crianças em família, ajudaremos quem nos procurar e vamos orientar no pós adoção, vamos fazer a diferença!
Deixo aqui o link do nosso grupo do face: GAAAI (Grupo de Apoio a Adoção Amor Incondicional) curtam nossa página no face, entrem no nosso grupo e sigam nosso site:  https://www.facebook.com/groups/gaaai/

http://gaaai.webnode.com/

casamento

Nosso Grupo!

Olá queridos!!! Passando a euforia e a emoção da certidão das meninas, a vida segue em ritmo normal. Hoje venho aqui por um motivo: Cada dia que passa, aumenta o tráfego de pessoas no blog e eu recebo muitas mensagens e agradecimentos por motivação com os meus relatos. Quero contar uma parte de algo que prá mim tá senso um sonho, a outra parte ainda não posso contar pois não depende apenas de mim.
Nunca escondi de ninguém que foi através dos grupos de apoio virtuais que eu encontrei respostas prás minhas dúvidas, ombros amigos nas minhas crises de desânimo e sim, foi pelo grupo que via busca ativa eu encontrei Silmara e Ana, minhas filhas caçulas, minhas pimentinhas amadas. Particularmente em nosso grupo daqui de Curitiba só tivemos adoções tardias, interraciais e grupo de irmãos e com isso acho que sem querer nossa bandeira foi se formando e quando nos demos conta estávamos defendendo este perfil e foi no meio de uma calorosa mas não menos proveitosa discussão sobre perfil RN, branco e saudável que nasceu a idéia de criarmos um grupo para as chamadas Crianças Reais que são a realidade nos abrigos do Brasil. Não julgamos e nem discriminamos os perfis de ninguém, é um direito do pretendente escolher como será seu filho, mas apoiamos e fazemos busca ativa prá perfil de adoção tardia, interracial, especial, grupo de irmãos e tentamos mostrar o lado maravilhoso que é a chegada de um filho um pouquinho maior, que já fala e anda. Como costumo dizer no grupo: Busca ativa prá crianças até 5 anos, branca, saudável e sem irmãos não existe, esta criança está na sua própria comarca e há milhares de pretendentes prá ela, a espera na fila deve ser no mínimo uns 4 anos, tem pessoas que precisam deste prazo prá arrumarem as coisas, arrumarem a vida prá receber esta criança com todo carinho e dedicação que ela precisa, mas há outras que ficam reclamando do judiciário, da lentidão e tempo de espera. Então porque não abrir seu coração prá adoção tardia? Um grupinho de irmãos é maravilhoso! Amor não tem cor, sexo, idade.. é simplesmente amor, amor incondicional!!!!
Deixo aqui o link do nosso grupo no face, claro que as solicitações de entrada são analisadas e perfis fakes ou suspeitos não serão aceitos! Mas deixo aqui o convite prá todos que queiram adotar, sejam bem vindos! Adoção legal é segura e para sempre!!

https://www.facebook.com/groups/adocaocriancasreais/

Terminou!!!!!!!!!!

Olá meu povo querido!!!!! Andei sumida porque só queria postar notícias boas e cá estou!!! Vou resumir prá quem chegou agora e não leu desde o início o blog: Demos entrada na documentação prá habilitação prá adoção em março de 2013, fomos habilitados em julho de 2013 e no final de outubro recebi indicação das minhas filhas, no dia 3 de novembro de 2013 um domingo, Du e eu saímos de Curitiba rumo á Natal-RN em busca das nossas pimentinhas, no dia 4 fomos até o abrigo buscá-las e desde então elas completam nossa família!  Fizemos acompanhamento com a nossa técnica daqui, ela conheceu e conversou com as meninas e em fevereiro deste ano tivemos a oitiva com a juíza. (Oitiva é um termo jurídico prá audiência, ou algo que o juíz ouve as partes.)O parecer dela foi favorável a adoção e desde então esperávamos a carta precatória encerrando o processo e finalmente registrarmos nossas neguinhas! Aaaaah Natal, Natal… cidade maravilhosa e abençoada, me deu dois dos meus três presentes e não foi por acaso que me apaixonei pelo Nordeste em 2012… povo abençoado, amável e carinhoso, a melhor comarca prá adotar é lá, tudo corre rápido e de acordo com as necessidades da criança, lá realmente a prioridade é a criança. Maaaaas numa falha de comunicação da vara daqui com a de lá, fiquei dois meses esperando finalizar o processo e nada. No final de abril eu voltei a incomodar a vara e descobri que não tinham enviado a oitiva para o juíz de Natal… lá vou eu correr, telefonar, mandar e-mail e esperar… esperar… esperar…

No dia 20 de maio, liguei prá minha técnica de Natal e ela me disse que o juíz já havia enviado a carta precatória mandando expedir a certidão das meninas, bom como foi mandado pelo correio decidi esperar uma semana. Dia 29 de maio eu liguei na vara daqui e falei sobre a carta precatória e ouvi que não tinha chegado nada, que eu tinha que esperar chegar e pronto. Inconformada eu informei o número da precatória e em dois segundos acharam, quanta agilidade né… eu queria correr ir buscar a precatória e ir ao cartório fazer a certidão das meninas, mas me disseram que eu teria que esperar a juíza tomar ciência e mandar executar. Pronto, lá vou eu de novo ficar feito pateta esperando. Nossa, começou a copa do mundo, danou-se, o Brasil parou e ninguém trabalha direito, foram dias e tentativas frustradas, cheguei a ouvir que nos dias que houvesse jogo em Curitiba, a vara não funciona, assim como nos jogos da seleção. Pôxa, atendimento ao público do meio dia ás dezoito horas e mesmo assim não trabalham nos dias que tem jogo na cidade??? Genteeeeeee virou pessoal, juro! Cada vez que eu chegava na vara, a senhora do cartório me olhava com cara de deboche, até hoje não conseguiu me explicar o motivo da demora em me entregar um documento que foi endereçado a mim, o qual era só protocolar e me entregar, mas tudo bem, eu engolia um baita sapo, mas saía de lá calmamente mandando essa senhora sifu, pois se falasse algo atravessado seria presa por desacato. No dia 13 de junho, vi no projudi que a juíza daqui(um amor de pessoa, diga-se de passagem) mandou me entregar a carta e pronto. Quem disse que me entregaram? Mais uma vez não conseguiram me explicar o motivo de eu ter que esperar, eu chegava no balcão e a senhora simpatia me olhava e vinha rindo, maléfica que só ela, olhava na minha cara e dizia que tinha que esperar ser cumprido o termo, que termo??? O juíz de Natal enviou a precatória mandando cumprir no dia 22 de maio, com prazo de 30 dias e ela queria que eu esperasse o que? Não aguentei, falei que se ela me explicasse o que eu tinha que esperar, eu ficaria bem calma e feliz, mas que eu estava cansada de trabalhar num órgão público e que queria receber salário, pois só eu corria atrás do meu processo, dava tudo mastigado prá eles. Ela mais uma vez não soube explicar, apenas disse que iria pedir urgência na lavratura das certidões e que me ligaria assim que estivessem prontas. Semana passada teve jogo aqui em Curitiba num dia e no outro seria jogo da seleção, que ótimo, dois dias perdidos! Na quinta-feira a noite entrei no projudi e vi que as certidões estavam prontas, claro que eu esperei me ligarem… sexta-feira era dia útil aqui, mas ninguém me ligou. Finalmente dia 30 de junho de 2014 me ligaram avisando que eu poderia ir buscar a certidão das minhas filhas!!! Confesso que na hora fui sem emoção nenhuma, pois já tinha levado tanta porrada nas outras vezes que sequer me animei, mas depois que peguei, li os seus nomes, tive a certeza que perante a justiça elas são minhas, são nossas… aaaaaaah meu povo, a sensação é maravilhosa, me sinto a criatura mais poderosa do universo!! São minhas e ninguém pega!!!  É algo surreal, são minhas filhas, meu Deus, hoje passou um filme na minha cabeça, desde a entrega da documentação até hoje, foi um ano e três meses, vendo por este lado foi muito rápido, em um ano eu já tenho minhas filhas e só minhas, minhas!!!!

Tenho muito a contar, a mostrar, agora elas são minhas e eu posso contar tudo que passou, não tenho nada a esconder e sinceramente não tenho medo de represálias, mas aconselho a todos que corram atrás, não fiquem no achismo, não esperem que te liguem, que te encontrem, trabalhe em uma repartição pública sem ser visto, incomode, exija seus direitos, faça-se presente, infelizmente só sobre pressão é que as coisas andam. Eu cheguei a ouvir da simpatia do cartório que como era um caso de adoção, não era um caso de criança em risco, eu não tinha prioridade, eu tinha que esperar o tempo que fosse!!! Não desistam, não desanimem, ainda há muita gente boa neste mundo e disposta a ajudar, não deixem que algumas mal amadas estraguem seu dia! 

É com muito orgulho e emoção que compartilho com vocês, aproveito prá agradecer todo o carinho, todas as visitas durante todo esse tempo e já adianto que não vou parar por aqui, tenho muito a contar, tenho muito a fazer, pois quem entra neste mundo maravilhoso da adoção, nunca mais consegue sair! Obrigada, obrigada pelo carinho, Deus os abençoe! 

Imagem