Uuuuuuh, sumi né…

Olá pessoas! Peço milhões de desculpas pelo sumiço, mas tava difícil vir atualizar!!!

Vamos por partes: Fim de ano, correria com o marido trabalhando 12 hs ao dia, começo de ano com tudo prá colocar em dia, arrumar escola prá S. que fez 6 anos em Novembro, comprar material e uniforme escolar e arrumar transporte… ufaaaaaaa! Conversei com amigas entendidas no assunto legal da adoção e soube que não sou obrigada a matricular a A. este ano na escola, ela ainda fará 5 anos e eu quero aproveitar um pouco essa fase dela, não trabalho fora e não vejo motivos prá colocar agora. Ah mas tem a socialização, a alfabetização, será bom prá ela… Ela é sociável até demais, a alfabetização faço enquanto a S. faz o dever de casa e ainda sou da opinião que todo o tempo com os filhos vale muito mais que algumas horas na escola, calma, explico: a S. com 6 anos entrou no antigo Pré, que hoje chamam de primeiro ano, então nem alfabetizada direito ela será, pagamos mensalidade prá ela desenhar, brincar e interagir com outras crianças, eu entrei na escola com 7 anos, a Fer também, então A. fica comigo e pronto!! A escola dela fica a uns 3 km de distância de casa, como não dirijo temos que pagar transporte escolar e o assalto a mão armada custa 260 reais mês e o serviço deixa a desejar, mas enquanto não tiro carteira de motorista, nos sujeitamos a isso! A escola é meio desorganizada, estou doida prá ter a primeira reunião de pais e meter a boca no trombone, ano que vem ela não fica nesta escola! 

No começo de Janeiro, tivemos uma entrevista com a nossa psico, foi a primeira vez que ela viu as meninas. Claro que estávamos nervosos e eu contei e expliquei prá elas a situação, falei que não era prá contar mentiras e que a psicóloga é muito querida, mas que só estava querendo conhecê-las e saber se elas querem ficar conosco ou não. Elas diziam que não queriam ir embora, que são felizes aqui e que gostam das cachorras, rsrsrsrsrsrs. No dia, S. suava frio nas mãos, A. falava mais que vendedor chato e S. se calou, os papéis se inverteram e eu vi um lado delas que não conhecia, no nervosismo elas mudam completamente. Vai saber o que elas foram instruídas a dizer quando estavam com ADPF em andamento? Principalmente S. mais velha e viveu muita coisa… nem gosto de pensar no sofrimento. No fim foi tudo ótimo, a psico as adorou e deu o parecer favorável a adoção, relatou que somos uma família amorosa e que as duas estão nos identificando como referência, que nós somos prá elas seus pais! =D

Dia 10 de Fevereiro, tivemos uma oitiva, ou seja tivemos uma audiência com a juíza da VIJ, essa audiência foi filmada e as meninas estavam presentes, mais uma vez o nervoso tomou conta de todos, as duas com suas reações e eu com flatulência, hahahahahahahahaha. Mas foi tudo ótimo, a juíza é muito simpática, não tem aquela cara carrancuda que mete medo em todos, conversou conosco, perguntou se realmente queremos adotá-las e fez perguntas bem informais prás meninas, na sala havia uma estagiária de Direito, uma escrivã, a juíza e nós, o parecer foi favorável e só estamos esperando a resposta da comarca de origem das meninas se manifestar, a juíza de lá mandar expedir a nova certidão de nascimento delas!!!!!!!!!!!!!

Nosso verão foi de lascar este ano, aqui em Curitiba as temperaturas chegaram aos 36º C, algo insuportável prá nós, rsrsrsrsrsrs. Mas nas folgas do Du, fomos á praia, fomos tomar banho de rio com os compadres Aline e Emerson, enfim na medida do possível aproveitamos muito e as meninas também. Agora elas estão super ansiosas prá chegada do frio, algo que elas não conhecem. Semana passada compramos algumas peças de roupas mais quentes prá elas, afinal são duas e não dá prá comprar tudo de uma só vez e elas estão enlouquecidas prá vestir, por sorte ainda não esfriou prá elas usarem, eu detesto frio e sei que elas vão sentir bastante, vieram do Nordeste e lá o inverno deles é em torno de 23ºC… imagina aqui que fica entre 2º C e 10º C?? No mais estamos dentro da normalidade, elas são muito queridas, são obedientes e dificilmente há estresse por aqui, apenas tivemos duas ocorrências na casa da minha sogra, digamos que foram fatos que quiseram passar por cima da minha autoridade e que me tiraram do sério, afinal estamos em fase de adaptação e TODOS temos que falar a mesma língua, não adianta eu e o Du educarmos, ensinarmos a semana inteira e em um dia elas fazem tudo que querem na casa da vó, não sou cruel, sou realista, sempre mimei meus sobrinhos, mas nunca interferi no modo alimentar deles e nunca passei por cima do que a mãe deles recomendou, mas enfim o castigo ainda tá durando e espero que de agora em diante os adultos entendam que elas são minhas filhas e que eu vou educá-las do meu jeito, o que eu disser e fizer será seguido! Já chega ouvir duas vezes que queriam mudar o nome da S… opa, peraí, a mãe sou eu e quem decide se vai pedir prá trocar sou eu, mas depende do juíz acatar o pedido… ridículo isso!!!  Feriado de carnaval o Du estava de folga, tivemos aniversário da Larissa no sábado, domingo fizemos churrasco aqui em casa prá Nadine e Hémerson e na segunda vieram o Eduardo, a Mônica e a Marcela, nossos dias foram bem gostosos, adorei as visitas!  Aos poucos vamos entrando nos eixos, ainda tem muitos amigos e familiares que não as conhecem pessoalmente, mas a minha casa tá aberta prá todos é só avisar e chegar, afinal elas chegaram e quem quiser conhecê-las que venha na casa delas, no ambiente que elas estão acostumadas. Outra coisa que tá me deixando incomodada é que na alegria, eu convidei trezentos e cinquenta mil pessoas prá serem os padrinhos delas, na teoria é fofo demais, mas na prática tá sendo um desastre… tem alguns que as viram uma vez só, nunca vieram vê-las e sequer dão um telefonema prá saber como elas estão, sinceramente estou pensando em deixar assim, deixar apenas os que as procuram, se interessam por elas e as amam batizá-las, o resto que vá batizar os filhos de outros, os que nasceram de barriga, os branquelinhos… só quero o melhor prá elas e devo começar por aí, padrinhos são pessoas que substituem os pais e se nós faltarmos na vida delas… tadinhas estão lascadas!!! O pecado não é meu, mas sinceramente seria mais digno se na hora tivessem recusado o convite! 

Agora é esperar o ano realmente começar, torcer prá que meu presente de aniversário seja a certidão delas!!!! 

Algumas falhas.

Há dias venho querendo postar aqui alguns fatos não muito bons sobre alguns grupos de apoio presencial. NÃO estou me referindo á todos, nem aos grupos de apoio virtual, que por sinal são maravilhosos e tudo que aprendi foi com estes, tem pessoas realmente engajadas na causa Adoção.

Quando demos entrada no processo de habilitação, fomos á reuniões, palestras e eu me ofereci prá ser voluntária de um grupo, além de me ocupar e controlar minha ansiedade, queria ajudar de alguma forma, pois ao meu ver acho impossível ficar de braços cruzados quando conhecemos de fato o mundo das crianças abrigadas. Um mês depois, recebi um e-mail sobre uma reunião que seria para designar funções aos voluntários, digamos assim. Acaso ou não no dia da reunião o Du estava trabalhando no período da tarde e a Fer estava viajando. A reunião seria ás 19:30h, respondi o mesmo avisando que eu não poderia comparecer justificando o motivo e pedi prá que eu fosse informada da próxima. Não fui nessa reunião porque a rua aonde moro de um lado é um terreno de quadra inteira de propriedade de uma empresa de ônibus daqui, gigantesco e abandonado, do outro lado são chácaras que não possuem muros, apenas arame farpado e mato, onde facilmente alguém se esconde e faz ali o que quiser. Eu não saio sozinha e a pé depois que escurece nem que a vaca tussa, como eu iria sair e voltar sozinha tarde da noite? Foi exatamente isso que expliquei no e-mail e nunca mais me chamaram, enviei alguns e-mails tempos depois e nem fui respondida. 

Essa semana, um dos grupos do Rio de Janeiro se reuniu, discutiu as insatisfações, listou os pontos falhos e enviou uma carta ao MP cobrando, fazendo valer os direitos de habilitados e adotantes, ótima iniciativa! Será que aqui já fizeram isso? Não adianta apenas fazer palestras sobre adoção tardia, grupo de irmãos, é preciso discutir, debater e apoior quem já está habilitado e passa por toda essa morosidade. Honestamente, não tenho conhecimento de uma reunião com esse teor aqui em Curitiba. Os sites e as páginas estão desatualizadas, há perguntas sem respostas, artigos do começo de 2012. Manter tudo isso atualizado é importante e esclarecedor, claro que sei que os membros são ocupados, tem família e trabalho fora do grupo, mas aí é que entram os voluntários, uma pessoa de confiança poderia dar uma atualizada, ao menos uma vez por semana. Essa união entre membros dos grupos, habilitados e adotantes é nescessária, juntos podem cobrar celeridade e transparência junto ao judiciário, abraçar verdadeiramente a adoção, dentro da legalidade ajudar a encontrar pais prá essas milhares de crianças que estão nos lares, esperando por amor, por uma família. Existem muitos casais com perfis amplos, que aceitam irmãos e não tem preferência de idade, cor ou sexo e estão anos esperando. Eu não tenho esperanças de que meus filhos sejam curitibanos, só se eu sentar, cruzar os braços e esperar uns dois anos, mas não!! Minha espera já dura dez anos, tenho pressa, tenho amor e tem crianças esperando, estou indo á luta, buscando meus filhos nos quatro cantos desse país! Não estou sozinha, felizmente encontrei o verdadeiro apoio de pessoas que AMAM o que fazem, não fazem distinção de conhecidos ou anônimos, não fazem “panelinhas”, são aquelas pessoas que seguem o tão citado e menos praticado FAZER O BEM SEM OLHAR A QUEM, são pessoas que priorizam as crianças sempre, são pessoas que lutam prá que realmente essas crianças tenham o direito á uma família! 

Apenas uma das minhas amigas adotou aqui, mas ela esperou cinco anos, as outras tinham o perfil igual ao meu: adoção tardia e grupo de irmãos e TODAS foram prá fora do estado encontrar seus filhos! Será que aqui não há crianças maiores de 2 anos? Será que aqui todos os pretendentes querem filhos maiores? Nenhuma delas tem irmãos? Estranho… algo a ser pensado e muito bem pensado! Mas Deus colocou no meu caminho pessoas especiais, que me ajudam a qualquer hora do dia ou da noite, pessoas anônimas, que não buscam fama, apenas ajudam pais e filhos a se reencontrarem!

Prá minha cegonha só um recado: Obrigada por tudo, ainda vou te dar um abraço bem apertado, que Deus te abençoe! 

Se alguém se sentir ofendido com este post: Aja, mude, ajude, você tem a faca e o queijo nas mãos, basta saber cortar!