Última noite de curso, mais um degrau conquistado!

Hoje foi a última noite do curso, graças a Deus mais uma etapa vencida.Quero deixar duas dicas importantíssimas aqui… Primeira: Siga seu coração, converse, compartilhe seu desejo em adotar, coloque tudo na balança e tenha a certeza que você está preparado e que é isso que você e seu par querem, digo isso porque é muito lindo falar em adoção, tem todo aquele blá blá blá que é um ato de amor. Adotar uma criança, um bebê, um adolescente é um ato de amor incondicional, um amor puro e livre de preconceitos e incertezas, o verdadeiro amor! No calor da emoção, todos querem fazer bonito dizendo que aceitam crianças negras, com autismo, down, com patologias severas, dificuldades motoras, mas na realidade não é bem assim que acontece, caso contrário não haveriam tantas crianças abandonadas ou devolvidas aos abrigos. Não estou generalizando, apenas alguns casais querem apressar o processo e sair desfilando perante a sociedade com seus lindos, brancos e perfeitos filhos pelo shopping. Quando você se dispoe a adotar, você nunca vai perguntar prá um pai adotivo se ele já pensou em devolver o filho na primeira dificuldade que apareceu, você não pergunta prá assistente social se você aceitar uma criança com HIV, vai passar na frente das outras pessoas que estão na fila. Você simplesmente faz o que é preciso, arruma tudo, planeja, sonha, ama uma pessoa que você nem sabe como é e se emociona ao imaginar como será o primeiro encontro. Segunda dica: Pelo amor de Deus, se informe! Entre de cabeça no assunto, leia tudo que puder, debata, participe dos grupos de apoio, hoje em dia tudo é tão acessível que só é desinformado quem quer, devore o que puder de informações, prá depois não chegar no curso e ficar perguntando se depois que você concluir o mesmo já vai conhecer seu filho, ou então achar que porque uma amiga da vizinha da mãe da sua sogra disse que adotou em dois dias e você quer que o seu processo seja assim também, não assine atestado de alienado, não faça perguntas sem sentido… ninguém nasce sabendo, mas um pouco de informação não mata ninguém, pelo contrário! Tem tanto material autêntico na internet, livros, tantas pessoas dispostas a ajudar, tanto adotantes quanto advogados, psicólogos e assistentes sociais, portanto se você leu até aqui, sentiu aquele desejo, aquele calor no coração e está disposto a amar verdadeiramente, a se doar, a dar amor, receber amor e chamar uma criança de filho (a), corra, vá na reunião informativa da VIJ e seja feliz!!! Aposto que você ainda vai me contar sua história de amor!!

Anúncios