Maternar…

Abençoado o sonho que acalentas. Vontade que extrapola a esterilidade do teu ventre, pois o entendimento que já tens do que é ser mãe não mais necessita de nove meses para gerar outro ser. Porque é total a tua disponibilidade para amar incondicionalmente o filho que em breve chegará aos teus braços pelas vias da adoção. 

Finalmente entendestes que só os laços da afetividade realmente importam. Estás pronta para receber em teu colo o filho já tão amado que, gerado por aquela que por algum motivo não poderá ser mãe, trará ao mundo o bendito fruto da tua alma. Aquele que chegará às tuas mãos para conduzires ao aconchego do teu lar. 

Aguarda. Aproxima-se o dia em que não mais sentirás no dia das mães este vazio n’alma.

Bendito o ventre que te possibilitará a doce condição de mãe. Bendita és tu também por receber a missão de maternar.

O momento do encontro que te aguarda promete grandes emoções. Aguardar a chegada de um filho cria expectativa, medo e ansiedade. O tempo das gestações adotivas é imprevisível. Não importa. Acima de tudo prepara-te emocionalmente para ser mãe.

 

Bendita és tu também por receber a missão de maternar

 Preconceitos e indagações descabidas ocorrerão. Mas se estás feliz e realizada fechas o canal de acesso aos ignorantes e maliciosos.

Ser mãe adotiva requer entendimento no assunto, porque falar de adoção com naturalidade será importante na convivência com teu filho. Ele certamente um dia perguntará como veio ao mundo e terás a resposta na ponta da língua, se tiveres tranquilidade do teu papel como mãe, que é o de falar sempre a verdade sem afetações.

Enquanto aguardas, estuda sobre o tema e te harmonizas. Quando ele chegar te encontrará inexplicavelmente saudosa para iniciarem uma linda história.

Tuas outras tentativas de ser mãe ficarão no passado como simples recordações, feridas cicatrizadas, luto resolvido. Transformarás o teu presente em felicidade real com grandes possibilidades de realização e de sonhos que jamais imaginavas vivenciar.

É assim comigo que sou mãe. Poderá ser assim contigo se permitires. Se permitires maternar.

* Cintia Andrade Moura é mãe adotiva, escritora e integrante do Gead (Grupo de Estudos e Apoio à Adoção do Recife)

 

Anúncios